Pages

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

LIBEROU GERAL: De como age o Pastor e Pré- Candidato a Deputado Estadual José Alves Cavalcante na tentativa de não perder fieis

Pastor e Pré- Candidato a Deputado Estadual, José Alves Cavalcante

A disputa por poder dentro das igrejas em Açailândia continua. Após a convenção CIADSETA – PA/MT conceder permissão para um grupo de pastores de Açailândia abrirem uma igreja filiada ao ministério, logo os maiorais da Assembleia de Deus – COMADESMA resolveram invadir todo o Tocantins e Pará. Como confirma a matéria do site JM-Noticia que escreve sobre notícias gospel.

Ocorre que, para o pastor Paulo Martins conceder permissão para que o grupo de pastores de Açailândia abrisse uma igreja filiada a convenção CIADSETA foi necessário que o grupo se desloca-se do referido município em busca da permissão. Mas diferente disto não veio ninguém do Pará ou Tocantins atrás de permissão para abrir igrejas ligadas a COMADESMA nestes estados.

Resultado: a igreja comandada pelo Pastor José Alves Cavalcante, presidente da COMADESMA, começou a alugar vários prédios no Pará e Tocantins e enviar os pastores que possui em sua sede, Açailândia. Uma evidente busca por poder e desesperada tentativa de não perder território. Evangélicos sentem saudade do tempo em que eram tratados como ovelhas, agora são tratados como produto.

Além de estar abrindo igrejas em várias cidades do Pará e Tocantins, José Alves Cavalcante resolveu montar mais uma estratégia para não perder fieis, liberar todos para irem a shows. Historicamente os evangélicos da igreja Assembleia de Deus – SETA são expressamente proibidos de participarem de shows, mesmo de bandas evangélicas.

 Cavalcante sempre participou de eventos
 como cavalgada, os irmãos no entanto eram proibidos
Em 08 de agosto de 2012, Cavalcante fez o show do ministério Diante do Trono fracassar durante a Expo-Açaí, em Açailândia. O locutor fez questão de informar que o pastor havia proibido os irmãos de ir ao evento, o realizador da festa, empresário Itallo Toddy demonstrou na época grande insatisfação, por se tratar de um evento gospel e mesmo assim os irmãos serem proibidos de participar. Passado alguns dias depois a mesma igreja fez com que o evento da banda Som e Louvor que estava sendo realizado na cidade fosse cancelado.

Na ocasião a igreja de Cavalcante era mais forte e possuía mais irmãos, como as outras igrejas permitiram os evangélicos ir, e a liderada por ele não, então o show ficou fadado ao fracasso. A alegação utilizada como defesa pela direção local das igrejas Assembléias de Deus foi de que seu estatuto na permite a participação de seus membros em eventos pagos, na ocasião por meio de um artigo publicado em um blog da cidade anunciaram que dificilmente tal regra seria mudada. Seria uma forma de evitar que os evangélicos gastasse seu próprio dinheiro com lazer para não diminuir as ofertas. Quem se atrevia a ir era disciplinado e suspenso das atividades da igreja e exposto como desobediente e rebelde.

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM irmãos agora podem ir para eventos
acampamento e ate para banhos sem se preouculpar se vai ser exposto
para a igreja como desobediente/rebelde.
Mas tal medida ministerial foi revogada. Ocorre que durante reunião realizada na sede da igreja, pelo pastor José Alves Cavalcante, ficou autorizado a todos os pastores que liberem obreiros membros e congregados para irem a shows evangélicos. A revogação de tal norma se dar após vários irmãos que foram a eventos evangélicos terem sidos disciplinados e seus nomes expostos para toda a igreja como desobedientes/rebeldes. 

Antes proibiam porque afirmavam que os irmãos não podiam fazer parte de eventos pagos, agora dizem que era por conta da baderna e bagunça que ocorria em tais eventos. Analisando por este ângulo, afirmaram que somente os evangélicos da referida igreja são organizados, pois acreditam que por terem liberado seus congregados a ir para eventos, não haverá mais supostas badernas e não será mais "pecado". Está autorizado a ir para shows, banhos e acampamentos.

A lógica parece ser a seguinte: se a CIADSETA- Açailândia não proíbe, então a COMADESMA não pode mais proibir. Uma evidente tentativa de não perder fieis. É o mesmo argumento que utilizam para ter abrindo igrejas no Pará e Tocantins: se eles podem, nós podemos. 

FONTE: http://www.maiconsousa.com/

1 comentários:

Anônimo disse...

A estratégia tem um alcance bem mais abrangente do que o blogueiro conseguiu detectar. A jogada tambem é política. A juventude asembleiana açailandense é uma demanda eleitoral muito grande e teoricamente mais fácil de ser conquistada, pois os seus anseios são mais simples do que os da membresia adulta. O pastor Cavalcante deve ter percebido isto, e continuar mantendo essa proibição da mocidade participar de shows só o afastaria cada vez deste povo com o qual já não gozava de tanta simpatia. Neste momento, como pré candidato o pastor precisa de apoio político (voto) e a maneira mais fácil de tentar uma reaproximação da juventude da sua igreja era exatamente atendê-la naquilo que eles mais anseiavam, ou seja, era a cartada que o pastor tinha na manga para se aproximar da mocidade. Ela foi usada, agora é esperar prá ver se vai dar certo.

Postar um comentário

Comente e se quiser sua mensagen sera anonima. Os comentarios seram publecados apos avaliação do blogger, Não e permitido spams.